(31) 9 9577-6556

O presidente do Instituto Cultiva, Rudá Ricci participou do I Encontro Virtual de Educação e Saúde Indígena do Amazonas e Roraima, realizado no dia 28 de julho. O Objetivo foi discutir e alertar para a situação que os povos indígenas estão enfrentando com as políticas adotadas pelos governos Federal e estaduais do Amazonas e de Roraima, e o enfrentamento contra o Covid-19.

A pandemia avança nos territórios indígenas. Mais de 10,3 mil índios foram contaminados e 544 mortos pela doença, conforme dados da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil – APIB, de 21/07/2020. Segundo a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira –COIAB, a Covid-19 já alcançou 34 povos indígenas no Amazonas e tirou a vida de 180 pessoas. Em Roraima, foram 6 povos, com 50 mortes. Nos dois estados, a Covid-19 está presente em terras indígenas de pelo menos 20 povos isolados. Estimativas sérias apontam que a população indígena está afetada, proporcionalmente, em pelo menos 400% a mais que a média nacional.

Os participantes do encontro, representantes dos povos indígenas e demais lideranças denunciaram os vários problemas enfrentados como perdas de direitos garantidos por lei, a constante invasão dos territórios por madeireiros, garimpeiros, fazendeiros, igrejas e missionários, o acelerado desmatamento na Amazônia e as invasões nas unidades de conservação em benefício de interesses econômicos.

O I Encontro Virtual, representou pelo menos 20 povos e 30 organizações indígenas, incluindo lideranças, educadores, profissionais da saúde indígena e estudantes indígenas, que estão sendo todos drasticamente atingidos pela atual política governamental do país para as populações indígenas. Em uma Carta Aberta, pulicada no site do Instituto de Investigação e Desenvolvimento em Política Linguística – Ipol, os representantes relataram sobre o descaso e a falta de políticas públicas para a saúde e a educação dos povos indígenas.

Após o I Encontro Virtual de Educação e Saúde Indígena do Amazonas e Roraima foi criado o MANIFESTO EM DEFESA DA DIGNIDADE HUMANA DOS POVOS INDÍGENAS DO BRASIL, para coletar assinaturas e pressionar a OEA – Organização Dos Estados Americanos, o Conselho da Europa e a ONU – Organização das Nações Unidas.

O manifesto em apoio aos povos indígenas brasileiros é subscrito pelo jornalista, André Lachini; Flávio De Leão Bastos Pereira, Doutor e Mestre em Direito; Marcia Camargo – Pedagoga, Artista Visual, Mestre em Negócios Europeus e Marketing Internacional; Maurício Bídoli – Bacharelado em Moda, Técnico em Publicidade e Propaganda; Silvana Andrade – Jornalista e Presidente da ANDA Agência de Notícias de Direitos Animais; Talitha Camargo da Fonseca – Jornalista, Advogada especialista em Direito Público e Rudá Ricci, Sociólogo e Doutor em Ciências Sociais (UNICAMP), presidente do Instituto Cultiva.