(31) 9 9577-6556

O exemplo de Gestão Pública de Medellín

A Gestão Pública é um dos focos de trabalho do Instituto Cultiva por meio da aplicação de cursos EAD e também de consultorias a governos e órgãos públicos. Por ser um tema de relevância para o Instituto, a equipe está sempre se atualizando e trazendo novos elementos para a discussão de seus projetos. Na manhã de sexta-feira, 17/07, membros do Cultiva e lideranças políticas da Bahia, entre eles, o deputado federal, João Carlos Barcelos (Podemos/BA), participaram de um seminário com Jorge Melguizo, ex-Secretário de Cultura e de Desenvolvimento Social de Medellín, a cidade colombiana que virou case mundial. Hoje, a violência na região, é 95% menor do que há 20 anos.  Durante anos Medellín ganhou o mundo por conta dos cartéis, tráfico de drogas e Pablo Escobar. Duas décadas depois se tornou referência internacional por suas transformações urbanas, sociais, educativas e culturais. Melguizo é um dos responsáveis por essa transformação. Entre 2005 e 2009, durante sua gestão como secretário da Cultura Cidadã, e de Desenvolvimento Social, entre 2009 e 2010, os casos de homicídio caíram de 382 a 39 para cem mil habitantes.

O Instituto Cultiva e as lideranças políticas ouviram Melguizo explicar como foi todo esse processo e sobre os projetos implantados. Em sua apresentação, o hoje Consultor e conferencista em gestão pública, cultural, cultura cidadã, fortalecimento de organizações da sociedade civil, convivência e segurança, disse que para combater a violência e melhorar a qualidade de vida da população, o munícipio aumentou o investimento em cultura de 0,6% para 5% e na educação de 12% para 40% no orçamento anual. As finanças foram totalmente saneadas: somente 14,3 % são destinados ao funcionamento e 79% para investimento e 80,4% do recurso para investimento, são destinados ao social. Medellín tem uma grande autonomia institucional e financeira. O orçamento da cidade tem seu valor agregado pelos lucros e dividendos das Empresas Públicas Municipais, o que deu à segunda maior cidade da Colômbia (a capital Bogotá é a primeira), autonomia institucional e municipal.

Em 2016, a cidade recebeu o prêmio Lee Kuan Yew World City, concedido pelo governo de Singapura, considerado o mais importante prêmio internacional de urbanismo e desenvolvimento do mundo. Naquele ano também foram finalistas Toronto no Canadá, Sidney na Austrália, Aucklad na Nova Zelândia e Viena capital da Áustria. Medellín também foi eleita a cidade mais inovadora do mundo em março de 2013, concorrendo inicialmente com 250 cidades, e na fase final com Nova Iorque e Telavive, no concurso organizado pelo Urban Land Institute, The Wall Street Journal e o banco Citigroup. Os cinco motivos para a conquista do prêmio foram a inclusão de equipamentos culturais em bairros; a Ruta N – Tecnologia; o sistema de mobilidade; Empresas Públicas de Medellín, EPM e a diminuição de homicídios em 95,1% (2015). A cidade ganhou novos espaços públicos, parques e bibliotecas, principalmente nas periferias, em projetos urbanos que se integram com a construção social. Mas, para isso, primeiro foi necessário conhecer os territórios e as pessoas, e não apenas implantar uma obra na localidade. “Toda obra física deve ter um conteúdo e um resultado social”, disse Melguizo.

O Colombiano participou ativamente no Processo de Gerência que consolidou e articulou as ações institucionais no Território Centro da cidade de Medellín, promovendo a construção social de lugares com oportunidades para o desenvolvimento humano. É cooperador de informações para vários países da América do Sul, referentes aos processos mais recentes de transformação urbana, social, educativa e cultural implantados na cidade de Medellín. Atua como consultor em vários países da América Latina sobre políticas públicas, cultura e convivência. Consultor do Governo da Cidade de Buenos Aires – Secretaria de Habitação e Inclusão Social. Consultor do Ministério do Interior do Uruguai para projetos urbanos, culturais e voltadas para cidadania. Professor de universidades em Barcelona, Argentina e Colômbia. Assessor do Programa Nacional de Cultura Viva Comunitária na Colômbia.