pessoas caminhando por rua lotada

Brasil com mais de 115 mil mortes pela Covid-19 retoma a acelerada volta das cidades sem o controle da pandemia.

Mais da metade das grandes cidades brasileiras estão retornando à vida “normal”, uma espécie de ligar o ” fodas”. É duro dizer isso.

324 cidades brasileiras com mais de 100 mil habitantes, retomam atividades comerciais e econômicas, sem contar que cogitam abrir escolas.

Segundo o monitor da Folha de São Paulo, que mede o ritmo de crescimento da pandemia, com base em dados dos últimos 30 dias, 57% dessas cidades com aumento no fluxo de pessoas registraram alta acelerada de novos casos ou tiveram um número estável de novos diagnósticos, mas em um patamar considerado bastante elevado.

O maior exemplo é a cidade de Campo Grande, uma das seis capitais a voltar em meio ao caos da pandemia. Precisou fechar a cidade em julho devido a propagação da doença.

O mapa do Brasil não é animador, mesmo assim, prefeitos estão sucumbindo pressões dos empresários que pensam só no lucro. É claro que uma parcela enorme da população precisa trabalhar. 100 milhões de pessoas pediram auxílio emergencial e 63 milhões obtiveram êxito no pedido.

Várias cidades brasileiras mesmo na chamada bandeira vermelha, segundo o sistema de classificação de risco, estão voltando ao ritmo acelerado da chamada normalidade.

Brasil tem em média registro de mil mortes e 40 mil novos casos por dia. Até os Estados Unidos está mais lento nessa volta que o Brasil.

Por aqui, nosso presidente genocida tem preocupações caseiras, como por exemplo:

Bolsonaro quem depositou 89 mil reais na conta da Michele?

Essa é a maior preocupação do chamado presidente.

Brasil entra ano e sai ano e são sempre os mesmos planos.

Artigo de Rubinho Giaquinto, Analista Socioeducacional do Instituto Cultiva